CJF lança pesquisa eletrônica sobre a Justiça Federal

16/08/2016 às 11:17

Entender como os objetivos e estratégias implementados pela Justiça Federal são percebidos pelos magistrados, advogados, servidores públicos e cidadãos e quais devem ser as prioridades da Justiça Federal para 2017. Esta são as premissas da nova pesquisa desenvolvida pelo Conselho da Justiça Federal (CJF): Governança Participativa – Dê sua opinião.

A iniciativa está em consonância com a Resolução 221, do Conselho Nacional da Justiça (CNJ), de 10 de maio de 2016, que institui princípios de gestão participativa e democrática na elaboração das metas nacionais do Poder Judiciário e das políticas judiciárias do CNJ. Na mesma linha, o CJF já havia firmado também a Resolução 400, de 4 de maio de 2016, que cria o Índice de Governança da Justiça Federal – iGovJF, que estabeleceu, entre outras medidas, o estímulo à participação ampla de todos os atores do sistema judicial na formulação de estratégias.

Metodologia

A pesquisa aborda quatro públicos centrais: o cidadão, o advogado, o servidor e magistrado da Justiça Federal. Cada um com um questionário específico de 10 a 12 perguntas em formato eletrônico e o tempo médio para as respostas é de 3 minutos. A pesquisa ficará disponível até o dia 30 do mesmo mês.

Prioridades

“Queremos saber se na opinião dos usuários e operadores da Justiça Federal devemos continuar dando prioridade ao julgamento dos crimes contra a Administração e das ações de improbidade administrativa, se devemos ser ainda mais céleres nas soluções dos litígios que tratem do  tráfico de pessoas, da exploração sexual e trabalho escravo,  se é importante continuar reduzindo o tempo de julgamento das ações de cobrança de impostos, se devemos manter o incentivo às soluções alternativas de conflito, por meio da conciliação, todas essas, medidas que espelham a atual estratégia,  ou se devemos eleger outros temas como prioridade, tais como o julgamento de processos que tratem de benefícios previdenciários, que discutam questões ambientais, se devemos, ainda, incrementar medidas na área administrativa, como por exemplo à melhoria da gestão dos nossos custos”, comentou o secretário de Estratégia e Gestão do CJF, Ivan Bonifacio.

Uma outra preocupação estabelecida na pesquisa é que os advogados opinem sobre o funcionamento dos Juizados Especiais, mecanismo criado no início dos anos 2000 para acelerar a tramitação de processos de menor complexidade.

Participação

“Esperamos ampla participação da sociedade na indicação de nossas prioridades para que possamos melhor atender ao cidadão, ao advogado e aos próprios magistrados e servidores, condição de uma sociedade justa e solidária”, declarou o secretário-geral do CJF Juiz Federal José Savaris. 

 O questionário eletrônico já está disponível nos portais do Conselho da Justiça Federal, dos tribunais regionais federais (TRFs) e de Justiça (TJs), da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e suas seccionais, das associações de magistrados federais e estaduais, dos tribunais superiores, entre outros órgãos.

            Acesse: www.cjf.jus.br/observatorio/governancaparticipativa.php.

Com informações do CJF


 Imprimir