Pesquisa Governança Participativa já foi respondida por quase 5 mil pessoas

26/08/2016 às 13:23

Os dados se referem à primeira semana do questionário, no ar desde o último dia 15

 

Entender como os objetivos e estratégias implementados pela Justiça Federal são percebidos e quais devem ser as prioridades para 2017 são as premissas da pesquisa Governança Participativa, desenvolvida pelo CJF, em parceria com os demais órgãos da Justiça Federal. Aberta desde o dia 15, a pesquisa, que será finalizada no dia 30 próximo, tem como público cidadãos, advogados, magistrados e servidores. A opinião dos usuários e operadores da Justiça vai reforçar a permanência das metas já estabelecidas ou apontar para a necessidade de priorização de outros temas.

Os resultados parciais demonstram que o canal aberto para coleta de opiniões foi muito bem recebido: na primeira semana, a pesquisa já conta com quase 5.000 respondentes. Os dados já indicam que a grande maioria apoia a adoção de metas para a melhoria do desempenho do Judiciário. Outro aspecto identificado é que os temas apontados como prioritários coincidem com as metas já definidas, porém, há a indicação de, pelo menos, dois novos assuntos relevantes a serem incluídos no novo ciclo estratégico.

As opiniões já coletadas revelam que a pesquisa foi extremamente representativa em todas as regiões geográficas do País.  Porém, em relação ao público-alvo, ainda é esperada a participação mais efetiva dos advogados. Com adesão ainda pequena, se comparada aos demais grupos, a opinião dos advogados é considerada muito importante, uma vez que uma das questões da pesquisa trata da visão deste segmento quanto ao primeiro grau, mais especificamente em relação aos juizados especiais federais (JEFs), segundo Ivan Bonifácio, secretario de Estratégia e Governança do CJF e coordenador da pesquisa. “Esperamos que até o dia 30 de agosto haja aumento da participação dos advogados, para que tenhamos uma avaliação bem consistente da opinião desse segmento importante da destinação dos serviços da Justiça”, disse ele.

Além das perguntas fechadas, a pesquisa de opinião traz a possibilidade de inclusão de sugestões, críticas e comentários sobre os temas apresentados, tornando-se um valioso instrumento para a compreensão das expectativas dos públicos externo e interno da Justiça Federal. Dentre as contribuições, já puderam ser destacadas a crítica sobre o tempo de tramitação dos processos e a necessidade de ampliação da divulgação dos dados estatísticos e das ações da Justiça Federal.

Participe você também! Clique aqui e dê a sua opinião.

 

CJF


 Imprimir