Justiça Federal na Paraíba realiza leilão nesta quinta-feira (10)

09/11/2016 às 18:05

Hotel Tambaú e prédio onde funciona o Colégio Geo saem da lista por motivo de pagamento da dívida

A Justiça Federal na Paraíba promoverá o segundo Leilão Judicial do ano nesta quinta-feira (10), a partir das 9h, no auditório da Subseção Judiciária de Campina Grande. Quem não puder se deslocar até a Rainha da Borborema, poderá participar da hasta pública nas modalidades telepresencial (videoconferência para João Pessoa, Sousa, Monteiro, Patos e Guarabira) ou virtual. 

O Hotel Tambaú e o prédio onde funciona o Colégio Geo saíram da lista do leilão por motivo de pagamento das dívidas. Já o leilão do Hotel Ouro Branco, localizado na Avenida Nossa Senhora dos Navegantes, avaliado em R$ 34 milhões, está mantido para amanhã, uma vez que o Tribunal Regional Federal da 5ª Região (TRF5) ainda não se pronunciou sobre a decisão da juíza Helena Fialho, da 5ª Vara Federal, que negou o pedido de suspensão.

Serão disponibilizados para arremate equipamentos de informática (computadores, impressoras, copiadoras), automóveis, imóveis (apartamentos, casas, lotes), entre outros materiais como obras de arte e pedras de esmeraldas lapidadas. Um prédio de propriedade do Instituto de Pneumologia da Paraíba, localizado na Rua Dra. Neuza Andrade, no bairro Jardim 13 de maio, em João Pessoa também vai a leilão  avaliado por R$ 10,8 milhões, podendo ser arrematado por um mínimo de 50% do valor da avaliação, conforme determina o Novo Código de Processo Civil.

Nesta 1ª praça, serão levados a leilão bens relativos a processos que tramitam nas 1ª, 2ª, 3ª e 5ª   Varas, em João Pessoa; nas 4ª, 6ª e 10ª Varas, em Campina Grande; e nas 8ª (Sousa), 11ª (Monteiro), 12ª (Guarabira) e 14ª (Patos) Varas Federais no Estado.

Dentro do projeto Leilão Eficaz da JFPB, o evento se repetirá, em 2ª data, no dia 24 de novembro, às 9h, também em Campina Grande, com as transmissões nas modalidades telepresencial e virtual.

De acordo com o Diretor de Secretaria da 5ª Vara Federal, Helio Aquino, a prática vem demonstrando que é bem melhor adquirir determinados bens em leilão judicial, face à vantagem que se oferece em relação aos preços praticados no mercado. “Ainda é possível que alguns bens venham a ser adquiridos através de pagamento parcelado, bastando, para tanto, verificar o que prevê o edital de leilão, no tocante ao bem específico que se deseja arrematar”, afirmou. 

Mais informações poderão ser obtidas pelo Edital disponível no endereço www.jfpb.jus.br, na área reservada ao Leilão Eficaz.


 Imprimir