Juízes Federais da PB realizam visita institucional ao Ministério Público Federal

08/05/2019 às 17:12

Compromisso integra fase prática do Curso de Iniciação à Magistratura

A nova magistrada da Justiça Federal na Paraíba (JFPB), Beatriz Ferreira de Almeida, que está na fase prática do Curso de Iniciação à Magistratura, visitou, nesta terça-feira (08), o Ministério Público Federal. Acompanhada dos juízes federais Bruno Teixeira de Paiva e Emiliano Zapata, a juíza federal foi recebida pelo Procurador-chefe do MPF na Paraíba, Marcos Alexandre Bezerra Wanderley de Queiroga, e pelos procuradores Sérgio Castro Pinto e José Guilherme.

Segundo a magistrada, a iniciativa é de grande relevância para o relacionamento com os órgãos e entidades, além de contribuir para o conhecimento sobre a gestão de cada um. “É de suma importância conhecer a realidade e aprender mais sobre o funcionamento das instituições com as quais a Justiça Federal mantém contato frequente. Essa é uma experiência que auxilia o processo de tomada de decisão e a solução de questões atinentes ao dia a dia do Poder Judiciário.”, disse a juíza federal.

Nesta semana, a juíza federal ainda visitará outras instituições e projetos que têm relação com a rotina da Seção Judiciária paraibana, como o Gabinete de Gerenciamento de Crises da Polícia Militar da Paraíba (PM/PB), a Procuradoria Federal no Estado da Paraíba, em João Pessoa, e uma das agências e a gerência do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). Ela também conhecerá casas e projetos de acolhimento de adolescentes, bebês microcefálicos, pacientes neoplásticos terminais, entre outros.

No mês de abril, a juíza federal foi ao Hospital Universitário Lauro Wanderley (HULW), à Ordem dos Advogados do Brasil - Seccional Paraíba (OAB-PB), à Defensoria Pública da União (DPU) e à Polícia Federal (PF).

Natural de Natal (RN), Beatriz Ferreira de Almeida, foi aprovada no último concurso do Tribunal Regional Federal da 5ª Região (TRF5). Antes de começar os trabalhos, no sertão do estado, ela está passando pelas Varas de Execução Fiscal, Penal, Cível, Comum e pelo Centro Judiciário de Solução Consensual de Conflitos e Cidadania (Cejusc), na Capital, como parte da prática judiciária do curso de formação.

 

         Autor: Seção de Comunicação Social da JFPB - imprensa@jfpb.jus.br


 Imprimir