Justiça Federal na Paraíba adere à campanha “Coração Azul”

03/07/2019 às 15:44

Fóruns de João Pessoa e Campina Grande ficarão iluminados de azul até o final deste mês

         A Justiça Federal na Paraíba (JFPB) aderiu, pelo quarto ano consecutivo, à campanha “Coração Azul”, em atenção a 30 de julho, Dia Mundial de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas. Até o final do mês, as fachadas dos Fóruns de João Pessoa e Campina Grande ficarão iluminadas com a cor azul, com o objetivo de chamar a atenção da sociedade para o tema, alertando para a necessidade do compartilhamento de informações para a prevenção do tráfico de pessoas, além de demonstrar solidariedade com as vítimas desse tipo de crime.

Para o diretor do Foro da JFPB, juiz federal Bruno Teixeira de Paiva, o tráfico de seres humanos fere por completo a dignidade humana e, muitas vezes, a integridade física da vítima. “É uma das atividades de maior crescimento das organizações criminosas transnacionais, sendo considerado, por diversas convenções internacionais, uma das mais graves violações aos direitos humanos.”, declarou.

As finalidades do tráfico de pessoas são diversas: exploração da prostituição de outrem; exploração sexual; exploração do trabalho; serviços forçados; escravidão ou situações análogas à escravidão; servidão; extração de órgãos; adoção ilegal.

A Campanha “Coração Azul” foi lançada em 2013 e é realizada pelo Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crimes (UNODC-ONU) e pelo Governo Federal através do Ministério da Justiça. A ideia da campanha é encorajar a participação da população e inspirar medidas que ajudem a acabar com o tráfico de pessoas. O título da campanha representa a tristeza de quem se torna mercadoria nas mãos insensíveis dos que compram e vendem outros seres humanos.

Dia 30 de julho

            A data foi instituída pela Assembleia Geral da ONU como Dia Mundial de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas. No Brasil, o Dia Nacional de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas ficou estabelecido no art. 14 da Lei nº 13.344/2016.

 

Autor: Seção de Comunicação Social da JFPB - imprensa@jfpb.jus.br  


 Imprimir